Recebemos a pergunta “como escolher um livro infantil?” frequentemente.

Escolher livros para as crianças parece tarefa fácil, tendo em vista a quantidade de títulos expostos nas prateleiras das bibliotecas e livrarias ou nas páginas da internet. No entanto, quando há muito para escolher, é bom que tenhamos alguns critérios para organizar a busca e oferecer o melhor aos nossos pequenos leitores.

As crianças são leitores em formação, portanto, tudo o que cair em suas mãos servirá como referência e é a partir daí que elas vão desenvolvendo seus comportamentos de leitor – ter autores preferidos e temas de que mais gostam, criar estratégias de leitura etc.

Dica 1: considere-se um curador

Uma dica importante é que, nesse começo, os livros passem por uma análise de quem vai ler junto com elas, é fundamental que os adultos conheçam bem os livros e tenham uma opinião criteriosa sobre eles, para que também sejam referência, possam conversar sobre as histórias e ajudá-las a desenvolver seus próprios critérios. Assim, um bom jeito de começar é apresentar os clássicos, livros que fizeram parte da infância dos pais, tios ou avós, que tragam uma memória afetiva e um vínculo já construído com a literatura.

Dica 2: pesquise em blogs e redes sociais, busque variedade de gêneros, autores, ilustradores e editoras

Outra boa maneira de escolher os títulos é pesquisar o que tem sido publicado nos últimos tempos lendo resenhas e indicações que são veiculadas em sites e blogs sobre o assunto. É importante apresentar diferentes gêneros literários (contos de fadas, fábulas, poemas etc.), autores de diferentes épocas e lugares, diferentes cenários e estilos de contar histórias, para que as crianças tenham um grande repertório antes de criar seus próprios critérios de seleção. Tem bastante gente bacana escrevendo sobre literatura infantil por aí, daremos algumas dicas para que possam começar as buscas!

Dica 3: frequente bibliotecas e livrarias

No entanto, um dos melhores jeitos ainda é levar as crianças a uma boa livraria ou biblioteca e deixar que explorem os livros – ler o título, o nome do autor, apreciar a capa, conhecer as resenhas… Há diversos tipos de histórias, ilustrações e estilos literários e, quando estão juntos, fica mais fácil compará-los. Mas ainda assim é importante que, antes da escolha final, os livros passem pelo crivo dos adultos (que são leitores mais experientes), o que proporciona ótimos momentos para conversarem sobre as opiniões e os critérios de escolha, por exemplo: começar a registrar quais são os autores e ilustradores preferidos, quais temas têm sido recorrentes nas escolhas, quais editoras agradam mais com suas publicações. E conforme as crianças crescem, podem (e devem!) explorar diferentes estilos, cada vez com mais segurança e propriedade – será o resultado do que viveram.

Dica 4: busque aqui no Ler o Mundo!

No nosso Insta você também encontra inúmeras dicas de livros!

Nosso blog

Aqui mesmo no blog você pode pesquisar na nossa nuvem de tags! Temos tags de autores, ilustradores e temas para ajudar na pesquisa e resenhas para as crianças. Além disso, todos os vídeos das leituras do desafio literário foram editados acompanham os posts, assim você pode conhecer um pouquinho do livro por dentro!

Venha conosco!

Você gosta de histórias, certo? Venha escutar as mais de 40 histórias para ler o mundo que temos na plataforma gratuitamente!

Publicado por:Bruna Cardoso e Paula Strano

Somos Bruna Cardoso e Paula Strano, as idealizadoras do Ler o Mundo. Como educadoras especialistas em alfabetização, já acompanhamos o processo de aprendizagem da leitura e da escrita de muitas crianças e sabemos o quanto a família e a escola são importantes nessa fase. Por isso, pensamos que uma boa maneira de ajudar mães, pais e educadores seria criar uma plataforma que traz tudo o que eles precisam saber: como funciona esse processo na vida das crianças, com dicas de atividades e um pouco da teoria que nos fundamenta. Nossa experiência como professoras está presente em cada palavra, assim como nossas trajetórias de vida, pois Bruna é também psicopedagoga e mãe de Helena (10 anos), Cecília e Matteo (7 anos), e Paula é especialista em produção de texto e escritora de literatura infantil.

O que você achou do conteúdo? Comete aqui!