Se você é mãe, pai ou cuida de crianças, deve estar se descabelando para conseguir ajudar com as aulas remotas, certo?

De fato, este modelo de ensino, emergencial, foi o que as escolas conseguiram fazer dentro do possível, mas está muito longe de substituir as necessidades cognitivas e emocionais de aprendizagem das crianças. 

(Ainda mais considerando os mais de sete meses que se passaram, muito mais do que o esperado!)

No fim das contas, as famílias precisaram assumir uma grande parte da responsabilidade pelo desenvolvimento das crianças, o que pode ser potencializado quando são realizadas as atividades certas. 

Mas… Que atividades são essas? 

São atividades simples, mas de alto impacto na aprendizagem. 

Na fase de alfabetização, por exemplo, as crianças aprendem muito mais em situações contextualizadas, que fazem sentido na vida delas, como quando conhecem o texto de uma receita para cozinhar. 

Isso está no dia a dia, é uma atividade gostosa para toda a família e faz parte da rotina, o que traz muita motivação!

Quer saber mais sobre como a família pode ajudar as crianças no processo de alfabetização?

Venha conhecer a Experiência Ler o Mundo!

Publicado por:blogleromundo

Somos Bruna Cardoso e Paula Strano, as idealizadoras do Ler o Mundo. Como educadoras especialistas em alfabetização, já acompanhamos o processo de aprendizagem da leitura e da escrita de muitas crianças e sabemos o quanto a família e a escola são importantes nessa fase. Por isso, pensamos que uma boa maneira de ajudar mães, pais e educadores seria criar uma plataforma que traz tudo o que eles precisam saber: como funciona esse processo na vida das crianças, com dicas de atividades e um pouco da teoria que nos fundamenta. Nossa experiência como professoras está presente em cada palavra, assim como nossas trajetórias de vida, pois Bruna é também psicopedagoga e mãe de Helena (10 anos), Cecília e Matteo (7 anos), e Paula é especialista em produção de texto e escritora de literatura infantil.

Deixe uma resposta