Muitas crianças de Educação Infantil ainda não voltaram para a escola presencialmente, seja porque as aulas não voltaram ou por opção da família. Mas isso não é um impedimento para a diversão dos pequenos!

A pedagoga Paula Strano ainda faz um alerta: “A Pandemia, entre tantas questões, trouxe um problema para as famílias, que não pode ser deixado de lado: o excesso de telas na vida das crianças. Sem a possibilidade de sair de casa, muitos pais acabaram flexibilizando o tempo de tela para as crianças, pois passamos (e estamos passando ainda) por uma situação emergencial. No entanto, é preciso parar para refletir, as crianças precisam fazer atividades divertidas e construtivas fora das telas.”

Veja algumas dicas para passar momentos gostosos em casa e entreter os pequenos:

1. Cozinhe junto com as crianças

Criança na cozinha (tomando todos os cuidados) é sinônimo de diversão e aprendizagem! Bolos, biscoitos, tortas, pães… os pequenos vão adorar! Além de aprender sobre transformação, a culinária traz matemática (nas quantidades) e leitura (nas receitas). Ver os adultos lendo já é uma grande aprendizagem, pois estão aprendendo a função social do texto escrito.

educação infantil

O curso para pais Experiência Ler o Mundo possui um módulo só sobre isso, com orientações, reflexões e atividades práticas! Conheça! As crianças de educação infantil que já começaram a se interessar pelo mundo da leitura e da escrita podem aproveitar muito as atividades propostas!

2. Desenhem juntos

Que tal criar em casa um cantinho do desenho? Não precisa ser algo grandioso, basta separar um local na casa e deixá-lo organizado com alguns lápis coloridos e giz de cera e alguns papéis, por exemplo. Sente-se para desenhar com a criança, conversem nesse momento, faça o seu desenho também ou desenhem na mesma folha de papel. Na conversa, a linguagem se desenvolve e, ao desenhar, a coordenação motora manual. Certamente, será um bom momento de troca e afeto em família. Organizem juntos o material quando a atividade terminar. Assim, além da diversão, a criança também começa a desenvolver responsabilidade. Você vai ver que, aos poucos, a criança começa a usar o canto do desenho sozinha também, e essa se torna mais uma atividade bacana para acontecer em casa!

3. Faça brincadeiras diferentes

Crie circuitos pela casa e brincadeiras diferentes, que mexem o corpo, dentro de casa. Pode ser uma sequência de cadeiras para passar por cima e por baixo (verifique se é seguro), por exemplo. A tradicional brincadeira do “Elefante colorido” também é ótima: a criança corre, se mexe e aprende as cores. O importante é que a criança tenha a chance de se movimentar e desenvolver de alguma maneira a coordenação motora global, mesmo estando dentro de casa.

4. Desenvolva a criatividade da criança de Educação Infantil sem telas

Estipule um tempo (grande) do dia sem telas e deixe as crianças livres para escolher o que fazer. Para isso, é bacana que a criança tenha opções de escolha, para organizar suas brincadeiras de faz de conta. Os materiais podem ser os brinquedos convencionais (bonecas, carrinhos), mas podem ser também objetos não estruturados, como caixas de papelão. Aprender a lidar com o tédio e a partir dele escolher o que fazer é muito importante, é nesse momento que brota a criatividade. Vale ressaltar que isso não acontece de uma hora para outra, as crianças precisam ter tempo para desenvolver a autonomia para brincar. E precisam se acostumar a fazer isso com independência. Se estiver difícil, ofereça sua companhia, brinque um pouco junto e saia aos poucos, ficando por perto. Vá aumentando esse tempo gradualmente.

Venha conosco!

Você gosta de histórias, certo? Venha escutar as mais de 40 histórias para ler o mundo que temos na plataforma gratuitamente!

Publicado por:Bruna Cardoso e Paula Strano

Somos Bruna Cardoso e Paula Strano, as idealizadoras do Ler o Mundo. Como educadoras especialistas em alfabetização, já acompanhamos o processo de aprendizagem da leitura e da escrita de muitas crianças e sabemos o quanto a família e a escola são importantes nessa fase. Por isso, pensamos que uma boa maneira de ajudar mães, pais e educadores seria criar uma plataforma que traz tudo o que eles precisam saber: como funciona esse processo na vida das crianças, com dicas de atividades e um pouco da teoria que nos fundamenta. Nossa experiência como professoras está presente em cada palavra, assim como nossas trajetórias de vida, pois Bruna é também psicopedagoga e mãe de Helena (10 anos), Cecília e Matteo (7 anos), e Paula é especialista em produção de texto e escritora de literatura infantil.

O que você achou do conteúdo? Comete aqui!